domingo, 17 de setembro de 2017

Pequenos Passos Para Aprenderes a Amar-te | Introspecção

[Photo by Denys Nevozhai on Unsplash]

Neste processo de aprenderes a amar-te, o primeiro passo a ser dado é a introspecção, o olhar para dentro e ficar. E porquê a introspecção? Porque as verdadeiras mudanças, assim como as verdadeiras relações, devem ser trabalhadas de dentro para fora. E para que comeces a mudar a tua relação contigo, deves mergulhar no teu interior, na tua alma. Pode parecer fácil, mas não é. E não é porque olhar para dentro dói. Há muita coisa que está lá, muita bagunça, muitos sentimentos, muitas emoções, muita dor, muitas mágoas, tudo misturado. Remexer nessas gavetas que temos fechadas causa sofrimento. No entanto, para que as possamos arrumar como deve de ser, temos de tirar tudo o que lá está cá para fora, seleccionar o que é para deitar fora de vez e o que é para ficar, e voltar a organizar. E o mesmo acontece com a dor. Não me canso de repetir uma frase que é: deixa doer para que não doa nunca mais. E esta é a mais pura das verdades. Quantas vezes recalcamos a dor para não ter de a sentir na hora? O problema é que essa dor não sentida fica como que em processo de fermentação, vai crescendo, cada vez mais, até não ter mais espaço e aí, materializa-se de variadas formas, entre elas, doenças físicas. Por isso, o melhor remédio para acabar com todas as dores emocionais é senti-las. Sentir, chorar e libertar. É essencial libertares as tuas dores. Demora o tempo que precisares. É um processo lento este.

Depois, tens de reconhecer aquilo que és. A tua essência. Os teus sonhos. O teu propósito. O que te faz vibrar. É nesse estado mais puro e simples que conseguimos perceber aquilo que realmente somos. E é aqui que todas as dúvidas começam a dissipar-se. Quando reconheces a tua essência, o teu verdadeiro valor, livre de todos os artefactos, de todas as opiniões alheias, percebes a tua real importância, o quanto és especial, o quanto és bonita(o).

É necessário fazer este reconhecimento interior. Só olhando para aquilo que tens dentro de ti, só percebendo os teus sentimentos, as tuas dores, os teus sonhos, a tua essência, é que podes conhecer-te de verdade. E só conhecendo-te de verdade é que podes reconhecer-te como um ser divino e capaz de tudo. Só quando te conheces de verdade é que podes começar a amar-te, de forma serena e segura, tal e qual como és.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Reiki&Yoga | Setembro


Na edição deste mês da revista Reiki&Yoga, falo sobre Terapia Sacro-Craniana, uma das minhas áreas de formação. Só recentemente começaram a ser estudados e divulgados os inúmeros benefícios desta terapia em várias condições patológicas, tais como fibromialgia, dor crónica, artrite reumatóide, esclerose múltipla, hérnias discais, depressão, hiperatividade, autismo, entre outras. Sendo uma terapia não invasiva e com resultados visíveis logo após a primeira sessão, tem vindo a tornar-se num tratamento complementar de primeira escolha por parte dos utentes portadores das patologias referidas anteriormente.

Além deste tema, podem encontrar muitos outros, super interessantes, como os benefícios da meditação nas crianças, exercícios de Yoga que ajudam a relaxar e a conciliar o sono, curiosidades sobre o Reiki, bem como um capítulo especial dedicado à alimentação. Vale muito a pena ler, acreditem!

[Sinto um grande orgulho por fazer parte desta equipa e poder colocar os meus conhecimentos ao serviço das pessoas e, quem sabe, ajudá-las a ter uma vida com mais saúde e harmonia!]

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Querida Fibromialgia | Da Revolta à Aceitação II

[Photo by Joanna Kosinska on Unsplash]


A psicoterapia foi a minha primeira grande ajuda neste processo de recomeçar. É assim que vejo esse momento da minha vida, um recomeçar lento e, por vezes, doloroso, tal e qual como quando nascemos e somos confrontados com a novidade do mundo fora da barriga da mãe. Na primeira meia hora da primeira sessão pouco falei. Era a primeira vez que me via frente a frente com uma pessoa estranha a quem, supostamente, teria de contar a minha vida. No entanto, algo me disse [intuição?] que a Drª Karla era a pessoa certa para me ajudar, que seria ela a dar-me a mão e o primeiro impulso para eu sair daquele sítio feio em que me encontrava. E não me enganei. A Drª Karla foi a minha primeira "salvadora". Digo a primeira pois, ao longo de todo este processo, muitas foram as pessoas que me ajudaram e ensinaram, e sobre elas falarei no devido tempo.

Depois da primeira sessão, tudo foi mais fácil, bem mais fácil. Em primeiro lugar, tive de começar por trabalhar a quantidade absurda de crenças e bloqueios emocionais que tinha dentro de mim. E o que é que isso tem que ver com a fibromialgia, perguntam vocês [e bem]? Tudo. Tem tudo a ver. A nossa mente é muito mais poderosa do que aquilo que possamos imaginar. Ao longo do nosso crescimento, vamos acumulando falsas crenças, bloqueios e recalcamentos que, a certa altura, dão origem a doenças físicas. A ciência já comprovou isso através de inúmeros estudos. São as chamadas doenças psicossomáticas, em que o corpo, quando sujeito a anos de traumas emocionais e situações de stress extremo, entra em falência e desenvolve uma doença física.

Há estudos que referem que a fibromialgia pode ser uma doença psicossomática, assim como tantas outras. Acontecimentos dolorosos, traumas emocionais, situações de choque, depressões, todas estas condições, a médio/longo prazo, podem traduzir-se no aparecimento de uma doença, neste caso, da fibromialgia. A nossa mente acaba por armazenar todas as emoções negativas, fazendo como que uma impressão no nosso corpo físico, daí os sintomas físicos. Anos e anos de dor emocional acabam por se transformar em dor física.

Assim sendo, o primeiro trabalho que fizemos foi desconstruir todos os meus bloqueios emocionais limitadores, provocados por traumas do passado. Se eu já não gostava muito do meu corpo quando ele era saudável, passei a gostar ainda menos depois de o sentir doente e a doer. Não foi fácil abrir a caixinha de Pandora. Doeu. Chorei. Irritei-me. Quis desistir. Faz tudo parte do processo. Antes de colocarmos pensamentos bons na nossa mente, temos de libertar os maus para criar espaço. E assim foi. A pouco e pouco, toda a revolta acumulada, toda a zanga com o meu corpo e comigo mesma, todas as crenças negativas sobre mim foram sendo libertadas e pensamentos harmoniosos foram sendo plantados e trabalhados. Este processo foi o início do que viria a seguir: trabalhar a aceitação propriamente dita.

[continua]

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Abraços Com Sabor de Algodão-Doce


Há abraços que sabem a algodão-doce. São doces, reconfortante e fazem-nos sentir especiais. São abraços espontâneos, sentidos. Abraços que celebram aquilo que o coração sente. São abraços que abrigam, que protegem, que acalentam. São abraços que libertam, dando a certeza de permanecerem no regresso. Abraços com cheiro de lar e de tardes de Outono quente. São abraços que vão além dos braços. São abraços de alma. São abraços com história e sempre com estórias para contar. Abraços de sempre e para sempre, que se agigantam com o tempo. Abraços ternos e suaves, que dão força e alento. São abraços que permanecem, na certeza de que não há distância, nem tempo, nem contratempos que os demovam. Como eu gosto desses abraços que sabem a algodão-doce e que me fazem sentir em casa.

domingo, 10 de setembro de 2017

Personal | Coração a Transbordar

[Photo by Ian Schneider on Unsplash]

É como me sinto hoje. Com o meu coração a transbordar de alegria e gratidão por ter pessoas tão queridas na minha vida. Amizades de há tantos anos que continuam intocáveis, apesar da distância e da passagem do tempo. Ainda bem que, em determinada altura da minha vida, decidi fazer uma reciclagem e manter apenas as pessoas que me faziam realmente bem. Foi a melhor coisa que eu fiz. Além de manter essas amizades sólidas, ganhei espaço para que outras pessoas igualmente maravilhosas pudessem entrar e conquistar um lugar no meu coração.

Cada vez mais tenho a certeza de que devemos manter e deixar entrar na nossa vida apenas pessoas de bem, pessoas que estão de acordo com a nossa energia. Infelizmente, há muitas pessoas tóxicas e negativas, que conseguem puxar para baixo tudo em seu redor. Não devemos julgar essas pessoas, são assim por natureza, talvez seja o karma delas. Devemos sim afastarmo-nos ou conviver o menos possível com elas. Eu fiz isso. Mantive na minha vida pessoas tóxicas durante demasiado tempo e só hoje percebo que isso não me fez nada bem. Mas, felizmente, consegui libertar-me.

Hoje foi um dia muito bem passado na companhia de uma das minhas pessoas, alguém que sempre esteve e que sempre estará, apesar dos muitos quilómetros e fronteiras que nos distanciam. Mas o que é a distância comparada com uma amizade assim?

Como a Meredith dizia à Yang: you're my person, you will always be my person! [Durante muitos anos fomos fãs de Grey's Anatomy, daí a citação.]

sábado, 9 de setembro de 2017

Dreamcatcher "Andrea" [e as amizades que parecem desde sempre]

[Fotografia (e trabalho) da minha autoria]

Este foi um dos primeiros caça-sonhos que fiz assim mais "a sério". Foi um presente para uma amiga querida que teve de regressar à sua terra natal, e eu fiz questão que ela levasse uma recordação feita por mim, com todo o carinho.

Há pessoas que entram na nossa vida por mero acaso, e a sensação que temos é que as conhecemos desde sempre. Com a Andrea foi assim. Conhecemo-nos nas aulas de Yoga e a empatia foi imediata. Era como se nos conhecêssemos há muitos, muitos anos. Os gostos, os interesses, a forma de estar na vida, tantas são as coisas em comum. Além disso, a Andrea é daquelas pessoas que tem um coração genuinamente bom. É impossível não sentir alegria, paz e serenidade quando estamos perto dela. Infelizmente [para mim], a Andrea teve de regressar ao Brasil por alguns meses. Mas volta [ai dela se não volta!], e aí poderemos continuar a fazer as nossas aulas de Yoga e a cultivar esta amizade tão bonita.


[A qualidade da foto não é a melhor, mas tinha a máquina avariada e teve de ser com o telemóvel. Além disso, estava uma ventania desgraçada e só neste sítio consegui uma foto decente.]


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Criatividade [Cria-A-Tua-Vida]

[Photo by Victoria Bilsborough on Unsplash]

Temos a ideia de que só os artistas são criativos. Associamos a criatividade às mais diversas formas de arte, mas não é bem assim. Todos somos criativos. Todos temos a criatividade ao nosso dispor porque todos somos capazes de criar... de criar a nossa vida. Sim, o nosso grande projecto criativo é a nossa vida. E temos o poder de fazer dela algo de extraordinário, a mais bela obra de arte.

Se realmente queres ser o autor do teu projecto de vida, começa a criar. Pára por uns momentos, senta-te e olha para dentro de ti. Para começares o teu processo criativo, deves encontrar aquilo que te faz vibrar, aquilo que realmente queres, aquilo que te faz sorrir e sentir as tais borboletas na alma. Encontra esse teu propósito e começa a criar a partir daí. Criar o nosso projecto de vida assemelha-se muito a outros processos criativos. Da mesma forma que o pintor precisa de se inspirar e delinear dentro de si o que quer passar para a tela em branco, também tu necessitas desse momento de reflexão para entenderes o que realmente queres, para começares a partir daí.

Depois de descobrires como queres que seja essa tua vida-maravilha, põe mãos à obra. Primeiro, lança as sementes. Depois, tens de ir cuidando delas, regá-las, dar-lhes amor e carinho, protegê-las das intempéries e arrancar as ervas daninhas. E ter paciência. Nada floresce de um dia para o outro. Há todo um processo natural a ser respeitado, como em tudo na vida. Se começas hoje a trabalhar no teu projecto e esperas acordar amanhã e já teres tudo criado, certamente irás desiludir-te. Tudo leva o seu tempo. O segredo é não desistir. Da mesma forma que o poeta enfrenta os seus momentos de falta de inspiração até conseguir escrever o poema mais bonito, também tu terás de resistir à tentação de desistir. E, lenta e firmemente, crescerá uma bonita planta, com uma cor vibrante e um aroma especial.

Não adies mais a criação da tua vida. Só tu tens o poder e a criatividade para cumprires os teus sonhos. Não deixes que ninguém desenhe a tua vida por ti. Porque a tua vida, o teu projecto de vida, é a tua melhor criação, a mais importante, aquela que vale mesmo a pena. E, quando dás o primeiro passo nesse sentido, a magia acontece, tudo se alinha e tudo é possível. Acredita, acredita na tua capacidade criativa. Um dia, olharás para a tua mais bonita obra de arte e pensarás que foste tu que a construíste. E a sensação será mais do que maravilhosa!